English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

157-BAHIA/SERGIPE: GUILHERME PEREIRA REBELO

157-GUILHERME PEREIRA REBELO (GUILHERME REBELO)

                157- GUILHERME PEREIRA REBELO
 
SERGIPE
http://www.google.com.br/imgres?imgurl=http://www.guianet.com.br/se/mapase.gif&imgrefurl=http://www.guianet.com.br/se/mapase.htm&usg=__gOufTPanNFlXEv8BPWQvY66LsO4=&h=414&w=413&sz=28&hl=pt-br&start=0&sig2=5p2Im2xOItb8spMRP4ERyA&zoom=1&tbnid=5j--AYeXM5ztNM:&tbnh=135&tbnw=135&ei=9qJJTZj4FovUgQen88zcDw&prev=/images%3Fq%3DSERGIPE%26hl%3Dpt-br%26sa%3DG%26biw%3D1362%26bih%3D595%26gbv%3D2%26tbs%3Disch:1&itbs=1&iact=hc&vpx=122&vpy=96&dur=2901&hovh=225&hovw=224&tx=122&ty=144&oei=9qJJTZj4FovUgQen88zcDw&esq=1&page=1&ndsp=21&ved=1t:429,r:0,s:0

*

Guilherme Pereira Rebelo, nasceu em 5 de junho de 1858, em Aracaju.
Ali mesmo, naquela improvisação chamada "cidade", iniciou Guilherme Rebelo o curso primário, completando-o na capital da Bahia, para onde se transportou no ano de 1864, acompanhado de seus pais.
Em 1873 ingressou na Faculdade de Medicina da Bahia, por ela sendo diplomado em 1878.
Um ano após a formatura, foi nomeado 2° cirurgião do corpo de saúde do exército, no qual serviu durante sete anos.
Em 1885, submeteu-se a concurso na Faculdade de Medicina, sendo aprovado para pro­fessor adjunto de Anatomia e Fisiologia Patológicas.
Em 1894, conquistou a cadeira de Patologia Geral, a qual ocupou de 1894 a 1901, quando foi transferido para a cadeira de Anatomia e Fisiologia Patológicas e como catedrático permaneceu até 1916.
Por concurso obteve a cátedra de língua in­glesa, no Liceu da Bahia. Armindo Guaraná, a respeito do con­curso de Guilherme Rebelo no Liceu da Bahia, diz o seguinte: "Conquistou no antigo Liceu, hoje Ginásio da Bahia, em outubro de 1890, a cátedra de professor de língua inglesa, após um con­curso, que lhe granjeou não só aprovação unânime da congrega­ção, como - fato ocorrido pela primeira vez e ainda não repetido - uma declaração na ata do julgamento feita pela congregação: "lamentando que a lei não lhe permitisse externar-se em uma manifestação de louvor ao candidato pelas provas magistrais por ele exibidas" (ata da sessão de 6 de outubro de 1890).
Por anos seguidos foi delegado fiscal do governo federal no "Ginásio São Salvador" e professor livre de Filosofia, Português e Inglês nos melhores estabelecimentos de ensino.
Guilherme Rebelo foi clínico de renome, durante vários anos, em Salvador.
Ingressou na política em 1908, sendo inicialmente eleito para o Conselho Municipal. Depois, foi deputado estadual, e como deputado estadual, permaneceu durante dois biênios.
Colaborou em diversos periódicos literários e científicos, tais como a "Revista dos Cursos", da Faculdade de Medicina e a "Ga­zeta Médica da Bahia" (da qual foi membro do corpo redacional).
Em 1919, tornou-se membro honorário da Academia Nacional de Medicina. Sua cultura ampla e variada ensejou o domínio de várias línguas estrangeiras, tais como fran­cês, inglês, espanhol e italiano, além do latim.
Pertenceu a várias sociedades literárias e científicas, desta­cando-se - além das já referidas - a "Sociedade de Medicina e Cirurgia" do Rio de Janeiro, o "Instituto Geográfico e Histórico da Bahia", a "Sociedade de Medicina da Bahia" e a "Academia Bahiana de Letras".
De Eduardo Sá de Oliveira destacamos: "Foi o dr. Guilherme Rebelo um professor insigne, tanto do curso superior, como do secundário. No primeiro, revelou-se um mestre de rara cultura, sobretudo no setor de Anatomia Patológica, tendo, com grande brilho, desempenhado as funções de diretor do Laborató­rio de Anatomia e Fisiologia Patológicas da faculdade, organiza­do pelo célebre professor Manuel Vitorino. No ensi­no secundário, mostrou-se, por igual modo, provecto, particular­mente no cultivo da língua inglesa".
É de sua autoria a versão em inglês, da Memória sobre o Estado da Bahia, do dr. Francisco Viana, em 1893.


FONTES BIBLIOGRÁFICAS:
Guaraná, Armindo – Dicionário Biográfico de Sergipe, Aracaju.1026.
Sá Menezes, Eduardo de – Memória Histórica da Faculdade de Medicina da Bahia, concernente ao ano de 1942. Salvador, 1992.


PONTE DO IMPERADOR - ARACAJU, SERGIPE

http://www.google.com.br/imgres?imgurl=http://www.guianet.com.br/se/mapase.gif&imgrefurl=http://www.guianet.com.br/se/mapase.htm&usg=__gOufTPanNFlXEv8BPWQvY66LsO4=&h=414&w=413&sz=28&hl=pt-br&start=0&sig2=5p2Im2xOItb8spMRP4ERyA&zoom=1&tbnid=5j--AYeXM5ztNM:&tbnh=135&tbnw=135&ei=9qJJTZj4FovUgQen88zcDw&prev=/images%3Fq%3DSERGIPE%26hl%3Dpt-br%26sa%3DG%26biw%3D1362%26bih%3D595%26gbv%3D2%26tbs%3Disch:1&itbs=1&iact=hc&vpx=122&vpy=96&dur=2901&hovh=225&hovw=224&tx=122&ty=144&oei=9qJJTZj4FovUgQen88zcDw&esq=1&page=1&ndsp=21&ved=1t:429,r:0,s:0





134- SERGIPE: GOTARDO CORRÊIA DE ARAÚJO JÚNIOR

CAPELA, SERGIPE
*
Nasceu em 28 de setembro de 1889, na cidade de Capela, sendo seus pais “de outro do mesmo nome” e Maria Correia de Brito Araújo.
Diplomou-se em farmácia no ano de 1907, pela Faculdade de Medicina da Bahia.
Em 1917 colou o grau de doutor em medicina, na mesma Faculdade.
Sua tese de doutoramento versou sobre “Profilaxia da Sífilis”.
Nada mais sabemos sobre a vida e a obra do epigrafado.

FONTE BIBLIOGRÁFICA
Guaraná, Armindo – Dicionário Biobibliográfico de Sergipe. Rio de Janeiro, 1927.

MÉDICOS ILUSTRES DA BAHIA E DE SERGIPE
Biografias de médicos da Bahia .................................................. 410
Biografias de médicos de Sergipe ............................................... 134
Total ..........................................................................................    544

============================================================

133- SERGIPE: GONÇALO RABELO LEITE


IGREJA MATRIZ DE RIACHUELO, SERGIPE

*

Nasceu no Engenho Cágado, município de Riachuelo, sendo seus  pais Antônio Rabelo Leite e Zelina Amélia de Almeida Leite.
Realizou os primeiros estudos em Aracaju, onde fez os preparatórios.
Ingressou na Faculdade de Medicina da Bahia em 1881, sendo por ela diplomado em medicina no dia 18 de dezembro de 1886, ocasião em que defendeu tese sobre “Tísica Turberculosa”.
Iniciou a clínica em Sergipe mas, em seguida, mudou-se para São Paulo onde permaneceu durante doze anos. Ao fim desse período de tempo, transferiu-se para Alagoas (onde clinicou nas cidades de Pilar, São Miguel dos Campos e Penedo).
Finalmente passou a residir em Propriá (Sergipe) mas pouco antes do seu falecimento voltou para Penedo, onde morreu no dia 4 de setembro de 1912.

FONTES BIBLIOGRÁFICAS
Dória, Epifanio – Efemérides, vol. 2. Aracaju, 2009.
Guaraná, Armindo – Dicionário Biobibliográfico de Sergipe. Rio de Janeiro, 1927.

MÉDICOS ILUSTRES DA BAHIA E DE SERGIPE
Biografias de médicos da Bahia ............................................ 410
Biografias de médicos de Sergipe .........................................  133
Total ....................................................................................    543

132- SERGIPE: GONÇALO DO FARO ROLLEMBERG



RUINA DE UMA CASA GRANDE, ENGENHO DE AÇUCAR EM MARUIM (SERGIPE)

                                                                                                                      *

Nasceu no Engenho Maria Teles, em Maruim, no dia 12 de setembro de 1860, sendo seus pais Manoel Rollemberg de Menezes e Maria de Faro Rollemberg.
Relizou os estudos preparatórios na capital baiana.
Ingressou na Faculdade de Medicina da Bahia, onde realizou os três primeiros anos do curso de medicina. A partir de então, transferiu-se para a Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, onde recebeu o grau de doutor, após defender tese sobre “Icterícia”, no ano de 1881.
Foi delegado de higiene em Japaratuba (Sergipe) e, em seguida, Vice Presidente da Província (1894-1895) e Presidente (interino), no ano de 1894.
Em 1913, visitou a Europa e em 1918 foi eleito senador federal por Sergipe.

FONTE BIBLIOGRÁFICA
Bittencourt, Liberato –Homens do Brasil-Sergipe. Rio de Janeiro, 1917.

MÉDICOS ILUSTRES DA BAHIA E DE SERGIPE
Biografias de médicos de Sergipe .................................. 132
Biografias de médicos da Bahia ..................................... 410
Total ............................................................................ 542

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

129-SERGIPE: GALDINO TELES DE MENEZES

Nasceu em 12 de  maio de 1857, no Engenho Cabral, município de Japaratuba, sendo seus pais João Napomuceno Teles de Menezes e Eulália Maria de Jesus.
Realizou os estudos iniciais na cidade de Capela e os preparatórios na capital baiana.
Doutorou-se em 1880, pela Faculdade de Medicina da Bahia, onde defendeu tese sobre “Óleos Medicinais”.
Formado, iniciou suas atividades na cidade de Laranjeiras, onde lecionou no “Liceu Laranjeirense”.
Depois, transferiu-se para Aracaju, onde foi secretário do Governo da Província (1885-1886), diretor da Instrução Pública e da Escola Normal, e inspetor de higiene pública.
Em 1893, mudou-se para o Estado de São Paulo, onde clinicou nas cidades de São João de Bocaina e Brotas.
Faleceu em 25 de julho de 1915, na cidade de Brotas (São Paulo).

131-SERGIPE: GENTIL MARTINS FONTES


PORTAL DO GRAJAÚ, ITABAIANA (SERGIPE)

*
Nasceu em 5 de setembro de 1880, em Itabaiana, sendo seus pais José Martins Fontes e Francisca Xavier Gomes Fontes.
Formou-se em medicina no dia 12 de abril de 1902, na Faculdade de Medicina da Bahia, ocasião em que defendeu tese sobre “Aerofagia Histérica”.
Formado, foi nomeado inspetor interino de higiene de Aracaju, onde dirigiu o Hospital Santa Isabel.
Depois de algum tempo, mudou-se para a cidade de Santos, em São Paulo.
Foi inspetor médico escolar do município da  Sorocaba (São Paulo), onde fixou residência no ano de 1917.
Foi redator e colaborador do “Almanaque Sergipano” (1898-1904), colaborador no “O Vespetino” e “A Razão” (de Estância,Sergipe) e “Cruzeiro do Sul” e “Revista de Leitura” (de Sorocaba).
Faleceu em Santos, São Paulo, em 6 de agosto de 1931.

FONTES  BIBLIOGRÁFICAS
Dória, Epifanio – Efemérides Sergipanas, Vol. 2- Aracaju, 2009.
Guaraná, Armindo – Dicionário Bibliográfico de Sergipe. Rio de Janeiro, 1927.

MÉDICOS DA BAHIA E DE SERGIPE
Biografias de médicos da Bahia  ................................. 410
Biografias de médicos de Sergipe ............................... 131
Total .........................................................................     541

130- SERGIPE: GAMALIEL DA CUNHA BRITO

Nasceu em 6 de agosto de 1961, em Maroim, sendo seus pais Prudêncio Constâncio da Cunha Brito e Minerva Maria do Bonfim Brito.
Formou-se em farmácia na Faculdade de Medicina da Bahia e em medicina, na mesma faculdade (em 4 de dezembro de 1888).
Sua tese de doutoramento no curso de medicina foi sobre “Fraturas do Colo do Fêmur e seu Tratamento”.
Formado, passou a residir em Belmonte (Bahia).
Doente desde os tempos de estudante, não exerceu, praticamente, a profissão.
Face o agravamento de seu quadro clínico, deslocou-se para o Rio Grande do Sul, onde residia seu irmão e em cuja casa faleceu no dia 7 de julho de 1890.

FONTE BIBLIOGRÁFICA
Guaraná, Armindo – Dicionário Bibibliográfico Sergipano. Rio de Janeiro, 1927.

MÉDICOS DA BAHIA E DE SERGIPE
Biografias de médicos de Sergipe ......................................... 130
Biografias de médicos da Bahia ............................................  410
Total ...................................................................................   540
===================================================================
IGREJA NOSSO SENHOR DOS PASSOS, MAROIM (SERGIPE)

"O registro do nosso ‘fotojornalismo’ desta sexta-feira destaca a Igreja de Nosso Senhor dos Passos na histórica Maruim-SE. A foto foi realizada pelo colunista Humberto Júnior, durante passagem pela cidade.  Segundo alguns historiadores, Sergipe nasceu em Maruim. Recentemente a bióloga e historiadora Maria Lúcia Marques Cruz e Silva, filha de Maruim, expôs achados históricos do município.
São milhares de peças e documentos que revelam o apogeu e a decadência do Empório de Sergipe. A força politica desse municipio já foi tão grande que houve épocas qe existia 8 consulados, tudo isso construido através das plantações de Cana e Algodão que atraiam os Europeus.
A bela e imponente Igreja Matriz de Nosso Senhor dos Passos, concluída em 1862. Ela é o único monumento na cidade tombado pelo governo do Estado através do decreto n. 4.988, de 1981.13 Nessa igreja, na famosa visita de 1860, o casal imperial orou. Depois, D. Pedro II, como de costume, examinou o monumento, subiu à tribuna da Capela-mor, donde levou algum tempo a observar tudo. Criterioso, o monarca achou perfeito o trabalho do entalhador"


FONTE: Humberto Júnior E-Notícias (http://enoticias.jor.br/fotojornalismo-igreja-nosso-senhor-dos-passos-em-maruim)

128-SERGIPE: GALDINO DE CARVALHO E ANDRADE


ENGENHO PEDRA, SERGIPE
*

Nasceu em 3 de outubro de 1832, em um sítio próximo ao Engenho Pedra, município de Capela, sendo seus pais Felisberto de Carvalho e Andrade e Maria Pastora de Carvalho e Andrade.
Formou-se em medicina no dia 12 de dezembro de 1856, quando defendeu tese sobre “os socorros que a Física presta à medicina”.
Formado, clinicou nas cidades de Capela e Maroim.
Foi deputado provincial (1858-1859) e cirurgião do Corpo de Saúde do Exército.
Como militar, serviu em Alagoas (1861) e Paraíba (1862). Em 1863, serviu no Hospital Militar do Recife e em 1864, em Aracaju.
Faleceu em 6 de março de 1865, na capital da Bahia.

FONTE BIBLIOGRÁFICA
Dória, Epifanio – Efemérides Sergipanas, vol.2. Aracaju, 2009.
Guaraná, Armindo – Dicionário Bibliográfico Sergipano. Rio de Janeiro, 1927.

MÉDICOS ILUSTRES DA BAHIA E DE SERGIPE
Biografias de médicos de Sergipe .......................................... 128
Biografias de médicos da Bahia .............................................  410
Total .......................................................................................  538

127-SERGIPE: FRANCISCO GUIMARÃES ROLLEMBERG


FRANCISCO GUIMARÃES ROLLEMBERG

*

Nasceu em Laranjeiras, no dia 7 de abril de 1935, sendo seus pais Antônio Valença Rollemberg e Maria das Dores Guimarães Rollemberg.
Estudou as primeiras letras em Laranjeiras e realizou os preparatórios na capital da Bahia, onde ingressou na Faculdade de Medicina, no Terreiro de Jesus, em 1954.
Diplomou-se no ano de 1960 e logo depois especializou-se em Cirurgia Geral.
Foi o primeiro médico de Sergipe a ingressar no Colégio Brasileiro de Cirurgiões.
Deputado Federal por Sergipe em quatro legislaturas, de 1971 a 1987.
Senador, de 1987 a 1995.
Possui vários títulos e condecorações: medalha do sesquicentenário da Independência do Brasil, saneador do Rio de Janeiro (conferida pelo Instituto Oswaldo Cruz, em 1972), medalha  do Centro Superior de Estudos da Defesa Nacional (conferida em 1973), medalha Duque de Caxias  (conferida pelo Exército Brasileiro, em 1980), medalha Santos Dumont (conferida pelo Ministério da Aeronáutica, em 1980), Comendador da Ordem do Mérito Militar (conferida pelo Ministério do Exército, em 1981), Comendador da Ordem do Mérito Ipiranga (conferida pelo Governo do Estado de São Paulo, em 1981), etc., etc.
Autor de vários trabalhos científicos, literários e de natureza política.

FONTES BIBLIOGRÁFICAS
Francisco Guimarães Rollemberg – Disponível em http://pt.wikipedia.org/wiki/FranciscoRollemberg. Acesso em 21 de dezembro de 2011.
Santos, Osmário – Memória Política de Sergipe no século XX. Aracaju, 2002.

MÉDICOS  ILUSTRES DA BAHIA E DE SERGIPE
Biografias de médicos de Sergipe ........................ 127
Biografias de médicos da Bahia ........................... 410
Total ...................................................................    537

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

126-SERGIPE: FRANCISCO VIEIRA LEITE


ENGENHO SÃO FÉLIX, SERGIPE

*

Nasceu no Engenho Castelo, (ou no Engenho São Félix ?) município de Santa Luzia, no dia 14 de janeiro de 1887, sendo seus pais José de Souza Leite e Ana Vieira Leite.
Fez os preparatórios na capital da Bahia, onde recebeu o grau de doutor em medicina no dia 19 de dezembro de 1909, pela Faculdade de Medicina da Bahia.
Sua tese doutoral versou sobre “Sífilis e Abortamento”.
Formado, iniciou sua atividade profissional na Cidade do Salvador (Bahia). Depois, mudou-se para a Vila do Pará Mirim (Mato Grosso) e, em seguida, para Três Lagoas, no mesmo estado.
Desconhecemos a data de seu falecimento.

FONTE BIBLIOGRÁFICA
Guaraná, Armindo – Dicionário Biobibliográfico Sergipano. Rio de Janeiro, 1927.

MÉDICOS ILUSTRES DA BAHIA E DE SERGIPE
Biografias de médicos da Bahia ...............................  410
Biografias de médicos de Sergipe ............................. 126
Total .......................................................................     536

=========================================================================
Engenho Castelo?
ENGENHO SÃO FÉLIX


O engenho Castelo localiza-se geograficamente vizinho à cidade de Estância e justaposto à cidade de Santa Luzia do Itanhi. Na propriedade do engenho havia escola, banda de música e até um jornal, "O Pirilampo", um importante ponto de referência cultural para a época. Em 1964 a usina Castelo encerra a sua produção. Em 1989 a propriedade é vendida, a qual atualmente é explorada com pecuária. "O conjunto arquitetônico do Castelo é um dos mais preservados da memória açucareira sergipana".p. 91.
Contudo, na análise de FREIRE (1995), no século XIX, com a decadência da indústria açucareira em Sergipe, face às condições desfavoráveis do mercado externo, leva alguns produtores de cana a desenvolverem as atividades algodoeiros e a dar destaque à pecuária que passam a ser as novas fontes de lucros em Sergipe.
Em meados do século XX, Sergipe iniciou um novo período de expansão da pecuária e das pastagens. Em Santa Luzia do Itanhi a efetivação desse novo período se processa paulatinamente, após a crise da cana de açúcar que se consolidou na década de 1960, com a substituição desta atividade pelo expansivo aumento da pecuária e da cocoicultura. A partir de 1980 ao lado do coco ocorreu também a invasão da citricultura, como uma forma de reduzir os impasses gerados pela queda da produção de cana de açúcar.
Como no final do século XIX a economia de Santa Luzia do Itanhi, girava basicamente em torno da cana de açúcar, a decadência deste produto no mercado e a crescente força política e industrial de Estância ingressou Santa Luzia do Itanhi na decadência e atraso.
Outro fato a ser considerado é que na análise da distribuição da terra do município, evidencia elevado índice de concentração de terra. É um município onde observa-se um número significativo de fazendas improdutivas. As atividades econômicas desenvolvidas nas antigas fazendas de cana de açúcar estão quase que inteiramente explorando a pecuária e a produção de coco, ambas as atividades exigem ocupação de grandes extensões de terra e dispensam de muita mão-de-obra.
Conforme LOUREIRO (1999), em 1812 a população era de 10.000 habitantes, sendo que 3000 eram brancos, 3.000 negros e 4.000 de diversas raças.
Hoje, os habitantes do município vivem da agricultura e pesca de subsistência, e do Fundo de Participação do Município que a prefeitura recebe. Santa Luzia, antes uma das maiores riquezas do País, é hoje um dos 50 municípios mais pobres do Brasil. Sua população estimada é de 15 mil habitantes, dos quais, 24% estão localizados na zona urbana, e os demais na zona rural. A área total do município é de 336,20 Km2, e, possui 51 povoados.
Segundo os autores SANTOS E OLIVA (1998), em Sergipe, foi no começo do século XIX que registrou-se o maior número de escravos no conjunto de sua população, o que coincide com a fase de mais rápido crescimento dos engenhos. Naquele período, os escravos chegaram a representar mais de 1/3 dos habitantes. E, apesar da sua participação nas mais diversas atividades, o trabalhador escravo foi principalmente utilizado nas tarefas agrícolas, especialmente naquelas relacionadas com o cultivo da cana e produção do açúcar.
Ainda conforme SANTOS E OLIVA (1998), a cana-de-açúcar exigiu braços, sendo crescente a importância do africano, como mão-de-obra escrava.
Segundo LOUREIRO (1999), "abolida a escravatura, ex-escravos optavam pelo trabalho junto aos antigos donos. Esse foi o caso, por exemplo, do Engenho Cedro, onde atuais trabalhadores ainda descendem de antigos escravos de outrora." p. 9.
Também deve ser considerada a contribuição biotipológica, ou seja, cor da pele, cabelos, nariz, lábios e olhos, legada pela larga miscigenação ocorrida desde os primórdios da colonização, bem presentes nos remanescentes de quilombolas, os quais, no município de Santa Luzia do Itanhi, migraram para localidades litorâneas, que compreendem a sede do município (representado por 3.324 habitantes), e os povoados: Rua da Palha (1.167 habitantes), Pedra Furada (519 habitantes), Crasto (1.571 habitantes), Cajazeiras, Pedra D'Água, Bode (554 habitantes), Taboa (397 habitantes) e Botequim (823 habitantes), totalizando 8.355 habitantes.
Para os povoados acima citados, em decorrência do histórico do município, da forte da existência de remanescentes quilombolas, no dia 12 de julho de 2005, através da Fundação Cultural Palmares, conforme Registro no Livro de Cadastro Geral nº 003, Registro 270, f.76, e Portaria nº 32 de 12 de agosto de 2005, publicada no Diário Oficial da União de 19 de agosto de 2005, foi reconhecida a Comunidade Remanescente de Quilombos do Território Luziense.
Desta forma, nota-se que aproximadamente 34% da população é reconhecida como remanescente quilombola, respaldando a importância da contribuição da mão escrava no comércio açucareiro, na constituição dos sete engenhos, bem como na permanência deste povo, contribuindo na formação biotípica, econômica e cultural do município de Santa Luzia do Itanhi.
Hildebrando dos Santos Crasto/Sergipe

125- SERGIPE: FRANCISCO QUINTILIANO DA FONSECA

ANTIGA PONTE SOBRE O RIO MAROIM

Nasceu em Maroim, no dia 26 de fevereiro de 1882, sendo seus pais José Quintiliano da Fonseca e Maria Diniz da Fonseca.
Diplomou-se em medicina pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, no dia 20 de abril de 1907, quando defendeu tese sobre “Estudo Clínico das Hemoptises”.
Foi o primeiro presidente, e fundador, da “Sociedade de Medicina de Sergipe”.
Especializou-se em radiologia e iniciou sua atividade de radiologista no ano de 1922, na cidade de Aracaju.
Foi inspetor sanitário e deputado (1910-1911).
Colaborou no jornal “Correio de Aracaju”.

FONTE BIBLIOGRÁFICA
Guaraná, Armindo – Dicionário Biobibliográfico de Sergipe. Rio de Janeiro, 1927.

MÉDICOS ILUSTRES DA BAHIA E DE SERGIPE
Biografias de médicos de Sergipe ............................ 125
Biografias de médicos da Bahia ............................... 410
Total .....................................................................   535

                                           

 

124- SERGIPE: FRANCISCO DE PAULA FREIRE

CATEDRAL DE ESTÂNCIA, SERGIPE

*


Nasceu em 10 de março de 1859, na cidade de Estância, sendo seus pais Serafim de Matos Freire Maria Leocádia Freire.
Iniciou os preparatórios no “Atheneu Sergipense”, concluindo-os na capital baiana.
Ingressou na Faculdade de Medicina da Bahia, pela qual recebeu o grau de doutor em medicina no dia 23 de dezembro de 1885.
Sua tese de doutoramento versou sobre “Etiologia das moléstias do coração”.
Iniciou a vida profissional clinicando em Estância, Ribeirão Preto (São Paulo), Boquim e Riachuelo.
Depois, ingressou no Corpo de Saúde do Exército, onde chegou ao posto de major no ano de 1911.
Faleceu em Aracaju, no dia 28 de dezembro de 1920.

FONTE BIBLIOGRÁFICA:
Guaraná, Armindo –Dicionário Biobibliográfico Sergipano. Rio de Janeiro, 1927.
MÉDCOS ILUSTRES DA BAHIA E DE SERGIPE
Biografias de médicos de Sergipe ......................................... 124
Biografias de médicos da Bahia ............................................ 410
Total ....................................................................................... 534

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

123- SERGIPE: FRANCISCO HORA PRATA

LAGARTO, SERGIPE

*

Nasceu em Lagarto, no dia 6 de maio de 1894, sendo seus pais Felisberto da Rocha Prata e Ana Prata.
Fez os preparatórios na capital baiana, onde foi diplomado em 30 de outubro de 1918, pela Faculdade de Medicina da Bahia.
Estudante, foi interno do Hospital Santa Izabel, da Santa Casa de Misericórdia da Bahia.
Sua tese de doutoramento versou sobre “Higiene da Habitação.
Nada mais sabemos sobre o referido profissional.

FONTE BIBLIOGRÁFICA
Guaraná, Armindo – Dicionário Biobibliográfico Sergipano. Rio de Janeiro, 1927.

MÉDICOS ILUSTRES DA BAHIA E DE SERGIPE
Biografias de médicos de Sergipe ................................ 123
Biografias de médicos da Bahia ................................... 410
Total ............................................................................   533

122-SERGIPE: FRANCISCO HORA DE MAGALHÃES



*

Nasceu em 10 de outubro de 1864, na cidade de Laranjeiras, sendo seus pais João de Magalhães Menezes e Maria Augusta da Hora.
Realizou os primeiros estudos no “Liceu Laranjeirense”, em sua terra natal.
Em 1886, diplomou-se em farmácia, pela Faculdade de Medicina da Bahia.
Farmacêutico, montou uma farmácia (“Farmácia Hora”) na cidade de Laranjeiras e com os recursos adquiridos prosseguiu nos estudos no curso de medicina, concluindo-os em 12 de dezembro de 1894, quando defendeu tese de doutoramento intitulada “Curabilidade da cirrose hepática”.
Formado em medicina, clinicou durante algum tempo em Minas Gerais. Depois, foi para a capital de São Paulo e ali fixou residência.
Irmão do célebre pintor Horácio Hora, possuía também grande habilidade artística, sobretudo musical, posto que foi notável pianista.
Faleceu no dia 18 de junho de 1900, na Fazenda Pau d´Alho”, Estação do Visconde de Pinhal, Estado de São Paulo.

FONTE BIBLIOGRÁFICA
Guaraná, Armindo – Dicionário Biobibliográfico Sergipano. Rio de Janeiro, 1927.

MÉDICOS ILUSTRES DA BAHIA E DE SÃO PAULO
Biografias de médicos de Sergipe ................................... 122
Biografias de médicos da Bahia ...................................... 410
Total ............................................................................. 530


terça-feira, 20 de dezembro de 2011

121-SERGIPE: FRANCISCO FERNANDES DE SOUZA


SÃO CRISTÓVÃO, SERGIPE

*

Nasceu em 17 de junho de 1849, em São Cristóvão, então capital da Província de Sergipe, sendo seus pais Antônio Fernandes de Souza e Ana Joaquina Fernandes de Souza.
Estudou no Atheneu Baiano, na capital baiana. Depois, ingressou na Faculdade de Medicina da Bahia, pela qual foi diplomado no ano de 1880, depois de defender tese subordinada ao título “Qual o melhor tratamento dos aneurismas?”.
Exerceu a profissão em São Cristóvão, Laranjeiras e Maroim.
Depois, ingressou no corpo de saúde da marinha nacional (1884), onde permaneceu por mais de vinte anos.
Faleceu a bordo do navio “Ladário”, quando se dirigia para o Rio Grande do Sul.
Seu corpo foi inumado na capital da república do Paraguai (na época, era capitão de corveta e cirurgião de 3ª.classe).

FONTE BIBLIOGRÁFICA
Guaraná, Armindo – Dicionário Bibliográfico Sergipano. Rio de Janeiro, 1927.

MÉDICOS ILUSTRES DA BAHIA E DE SERGIPE
Biografias de médicos de Sergipe ........................................... 121
Biografias de médicos da Bahia .............................................. 410
Total .....................................................................................     531

120- SERGIPE: FRANCISCO DIAS CÉSAR


MORADA DO BARÃO DE ITAPORANGA

*

Nasceu em 9 de janeiro de 1840, em Itaporanga  d´Ajuda, sendo seus pais o Barão de Itaporanga e Ana Boena César.
Diplomou-se em medicina em 1871, pela Faculdade de Medicina da Ba hia.
Sua tese de doutoramento versou sobre “Queimaduras”.
Faleceu quatro anos depois da sua formatura, em sua vila natal, no dia 6 de outubro de 1875.

FONTE BIBLIOGRÁFICA:
Guaraná  Armindo – Dicionário Biobibliográfico Sergipano. Rio de Janeiro, 1927.

MÉDICOS ILUSTRES DA BAHIA E DE SERGIPE
Biografias de médicos de Sergipe .......................... 120
Biografias de médicos da Bahia ..............................410
Total ........................................................................ 520


BARÃO DE ESTÃNCIA, BARÃO DE ITAPORANGA
Antônio Dias Coelho e Melo, o Barão de Estância, (Itaporanga d'Ajuda, 13 de junho de 1822 — 5 de abril de 1904) foi um juiz de paz, proprietário rural e político brasileiro, senador do Império do Brasil de 1885 a 1889.
Filho de Domingos Dias Coelho e Melo, barão de Itaporanga, descende por casamento de seu bisavô Domingos Dias Coelho e Melo II, na família Maciel de Sá, um dos três ramos dos Sá, vindos no século XVI com Diogo da Rocha e Sá, que aportou no Brasil em 1558 com seu tio Mem de Sá, terceiro governador-geral. Descende ainda por casamento de Domingo Dias Coelho e Melo, seu trisavô, dos Vieira de Melo, de Pernambuco.

Casou-se em primeiras núpcias com Lourença Dantas de Mello, e após com Lourença de Almeida Dias Mello e, finalmente, com a sobrinha-neta Francisca de Assis Dias Mello.

Político de grande prestígio na província de Sergipe, à frente do Partido Liberal; exerceu os cargos de juiz de paz, vereador, deputado e vice-presidente da província, sendo seu governante temporariamente por vários períodos. Foi deputado geral por várias legislaturas e senador do Império em 1885. Era senhor do engenho Escurial, o qual ainda permanece na posse da família Rollemberg,cuja origem remonta à filiação de sua filha Amélia Dias Rollemberg (Adolfo de Faro Rollemberg, "Adolfo do Escurial") nascida do seu primeiro matrimônio e casada com José de Faro Rollemberg, filho do Barão de Japaratuba, Gonçalo Accioli de Faro Rollemberg.

Uma de suas filhas (nascida do segundo matrimônio), Aurélia Dias Rollemberg, casou-se com o Senador Rollemberg, Gonçalo de Faro Rollemberg, neto e tido erroneamente como homônimo do avô, o Barão de Japaratuba. Seus dois outros filhos foram Pedro Dantas de Melo e Ana Dias Bitencourt, respectivamente, do primeiro e segundo matrimônios.

Comendador da Imperial Ordem de Cristo e da Imperial Ordem da Rosa. Recebeu o baronato por decreto de 18 de setembro de 1867. O título faz referência à cidade sergipana de Estância.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ant%C3%B4nio_Dias_Coelho_e_Melo

Antônio Dias Coelho e Melo, o Barão de Estância, (Itaporanga d'Ajuda, 13 de junho de 1822 — 5 de abril de 1904) foi um juiz de paz, proprietário rural e político brasileiro, senador do Império do Brasil de 1885 a 1889.
Filho de Domingos Dias Coelho e Melo, barão de Itaporanga, descende por casamento de seu bisavô Domingos Dias Coelho e Melo II, na família Maciel de Sá, um dos três ramos dos Sá, vindos no século XVI com Diogo da Rocha e Sá, que aportou no Brasil em 1558 com seu tio Mem de Sá, terceiro governador-geral. Descende ainda por casamento de Domingo Dias Coelho e Melo, seu trisavô, dos Vieira de Melo, de Pernambuco.

Casou-se em primeiras núpcias com Lourença Dantas de Mello, e após com Lourença de Almeida Dias Mello e, finalmente, com a sobrinha-neta Francisca de Assis Dias Mello.

Político de grande prestígio na província de Sergipe, à frente do Partido Liberal; exerceu os cargos de juiz de paz, vereador, deputado e vice-presidente da província, sendo seu governante temporariamente por vários períodos. Foi deputado geral por várias legislaturas e senador do Império em 1885. Era senhor do engenho Escurial, o qual ainda permanece na posse da família Rollemberg,cuja origem remonta à filiação de sua filha Amélia Dias Rollemberg (Adolfo de Faro Rollemberg, "Adolfo do Escurial") nascida do seu primeiro matrimônio e casada com José de Faro Rollemberg, filho do Barão de Japaratuba, Gonçalo Accioli de Faro Rollemberg.

Uma de suas filhas (nascida do segundo matrimônio), Aurélia Dias Rollemberg, casou-se com o Senador Rollemberg, Gonçalo de Faro Rollemberg, neto e tido erroneamente como homônimo do avô, o Barão de Japaratuba. Seus dois outros filhos foram Pedro Dantas de Melo e Ana Dias Bitencourt, respectivamente, do primeiro e segundo matrimônios.

Comendador da Imperial Ordem de Cristo e da Imperial Ordem da Rosa. Recebeu o baronato por decreto de 18 de setembro de 1867. O título faz referência à cidade sergipana de Estância.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ant%C3%B4nio_Dias_Coelho_e_Melo

119- SERGIPE: FRANCISCO BARBOSA CARDOSO


CATEDRAL DE ARACAJU, SERGIPE

*


Nasceu em 12 de dezembro de 1856, em Maroim, sendo seus pais Francisco Barbosa Cardoso e Maria Miquelina Cardoso.
Fez os preparatórios na capital baiana, onde ingressou na Faculdade de Medicina da Bahia, sendo por ela graduado em 23 de dezembro de 1885, quando defendeu tese sobre “Arsemocais, sua história, ação fisiológica e terapêutica”.
Formado,fixou residência em Belmonte, no interior da Bahia. Em Belmonte exerceu a clínica médica e foi  delegado de higiene.
Depois de três anos em Belmonte, mudou-se para a Cidade do Salvador, onde exerceu a profissão durante cinco anos.
Ao final de alguns anos, mudou-se para Aracaju. Em Aracaju foi inspetor de higiene e membro do Conselho Superior de Instrução Pública.
Em 1896, partiu para o interior de São Paulo, clinicando nas cidades de Limeira, Santa Eudóxia e Pirassununga.
De Pirassununga mudou-se para o Rio de Janeiro, onde foi médico do Instituto Policlínico e da Caixa Mortuária do Monte Socorro.
Faleceu em 16 de junho de 1919, no Rio de Janeiro.

FONTE BIBLIOGRÁFICA
Guaraná, Armindo – Dicionário Biobibliográfico Sergipano. Rio de Janeiro, 1927.

MÉDICOS ILUSTRES DA BAHIA E DE SERGIPE
Biografias de médicos de Sergipe ......................... 119
Biografias de médicos da Bahia ............................ 410
Total ...................................................................     529

118- FRANCISCO DE BARROS PIMENTEL FRANCO


INTERIOR DA IGREJA MATRIZ DE LARANJEIRAS, SERGIPE

*
Nasceu em 6 de novembro de 1879, no engenho Palmira, município de Laranjeiras, sendo seus pais Francisco de Barros Pimentel Franco e Maria dos Santos Franco.
Fez os preparatórios na capital baiana e ingressou na Faculdade de Medicina  da Bahia, pela qual foi diplomado em 14 de dezembro de 1904, oportunidade em que defendeu tese sobre coroidites.
Pela mesma Faculdade foi diplomado em farmácia e odontologia (1898).
Formado, clinicou em Propriá, nos anos de 1905 e 1906. Depois, em Laranjeiras e Aracaju.
Foi Diretor de Higiene, Diretor da Assistência Pública e membro da Sociedade de Medicina e Cirurgia de Sergipe.
Faleceu em Aracaju, no dia 24 de abril de 1922.
Seu corpo foi sepultado no Cemitério do Bonfim, em Laranjeiras.

FONTE BIBLIOGRÁFICA
Guaraná, Armindo – Dicionário Biobibliográfico Sergipano. Rio de Janeiro, 1927.

MÉDICOS DA BAHIA E DE SERGIPE
Biografias de médicos de Sergipe ....................................... 118
Biografias de médicos da Bahia .......................................... 410
Total ..................................................................................... 528

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

117- SERGIPE: FLORO DA SILVEIRA ANDRADE


BRASÃO DE MAROIM, SERGIPE

*

Nasceu em 18 de agosto de 1871, em Nossa Senhora das Dores, sendo seus pais Firmino José de Andrade e Maria da Conceição Andrade.
Realizou os preparatórios inicialmente em Aracaju. Depois, em Salvador (Bahia), onde ingressou na Faculdade de Medicina da Bahia pela qual recebeu o grau de doutor em medicina no dia 10 de dezembro de 1897.
Sua tese de doutoramento versou sobre “Irite e seu Tratamento”.
Quando estudante, foi interno de Clínica Psiquiátrica e de Moléstias Nervosas.
Formado, fixou residência em Maroim, onde foi diretor da Instrução Pública.
Ingressou no serviço militar do qual foi médico adjunto do Corpo de Saúde do Exército, a partir de 1899. Serviu no Amazonas e no Mato Grosso.
Clinicou em Aracaju e Maroim. Depois, foi contratado pelo Loyd Brasileiro, oportunidade em que viajou, durante alguns anos, em navios daquela companhia.
Em 1916, foi nomeado médico da Inspetoria de Saúde dos Portos em Fortaleza.
Colaborou com vários órgãos da imprensa, notadamente com os seguintes periódicos: “Jornal de Notícias” (Salvador), “Muruinensá, e” (Maroim), “A Notícia”, “Jornal de Sergipe” e “Jornal do Norte” (Aracaju) e “Correio do Ceará” (Fortaleza).

FONTE BIBLIOGRÁFICA:
Guaraná, Armindo – Dicionário Biobibliográfico de Sergipe. Rio de Janeiro, 1927.

MÉDICOS ILUSTRES DA BAHIA E DE SERGIPE
Biografias de médicos de Sergipe ...................................   117
Biografias de médicos da Bahia ........................................ 410
Total ................................................................................    527