English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

quinta-feira, 2 de junho de 2011

74- AVULSO BIOGRAFIA: FRANCISCO CÉSAR LINS SANT´ANA

ESTUDOS GENEALÓGICOS
ESTUDO GENEALÓGICO DA FAMÍLIA......

*

Nasceu em Salvador, em 27 de fevereiro de 1962, sendo seus pais Francisco Fontes de Faria Sant´Ana e Elíria Lins de Souza Sant´Ana.
Realizou os primeiros estudos nas escolas Baronesa de Sauípe e Alfredo Amorim, concluíndo-os no Liceu Salesiano do Salvador.
Graduou-se em Biologia pela Universidade Católica do Salvador (1985) e em Medicina pela Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública (1986).
Pós-graduação em Endocrinologia e Metabologia pela Universidade Federal da Bahia (887-1990) e pelo Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (1989).
Mestrado em Medicina Interna, na Universidade Federal da Bahia.
Membro titular da Sociedade Brasileira de Genética, do Instituto Histórico e Geográfico da Bahia, do Instituto Genealógico da Bahia e de outras instituições científicas e culturais.
Cursos de aprefeiçoamento em Suporte Avançado Pós-Trauma, Ultrassonografia  em Medicina e Interna, Qualidade Médica, Gestão de Saúde, e outros.
Professor de Biologia (no Colégio Central da Bahia)  e de Endocrinologia, Propedêutica Médica e Fisiopatologia (no Programa de Mestrado da Universidade Federal da Bahia).
Participou de vários congressos e seminários e publicou diversos trabalhos científicos na área de sua especialização.
Estudioso de História Regional e de Genealogia, tendo publicado dois livros: “Memória de Família: Estudo Genealógico da família Machado de Faria” (2000) e “Memórias de Família: Estudo Genealógico das famílias Lins, Almeida e Alves” (2000).
======================================

FRANCISCO CÉSAR LINS SANT´ANA É BISNETO DE EDUARDO FRANCISCO LINS, O QUAL ADQUIRIU, EM 1894, A FAZENDA RIO BRANCO, PERTENCENTE A JOÃO JOSÉ DE OLIVEIRA LEITE (BARÃO DO TIMBÓ).
QUEM FOI O BARÃO DO TIMBO ?
BARÃO DO TIMBÓ
                
   O barão de TIMBÓ foi João José de Oliveira Leite,  Coronel da Guarda Nacional

 João José de Oliveira Leite - agraciado com o título (Dec 11.06.1888) de Barão de Timbó. Nasceu em 12.04.1821 e morreu em 05.08.1919, a uma e meia da madrugada, aos 98 anos de idade, tendo sido sepultado  na Matriz da cidade de Estância-SE, defronte do altar de Nossa Senhora do Carmo.
Filho do Cel. João José Ferreira Leite e Anna Rita de Oliveira Leite. Era Coronel da Guarda Nacional e proprietário de engenhos. Comandante Superior da Guarda Nacional do município do Conde
, na então Província da Bahia. Em 1874 recebeu a comenda da Ordem da Rosa. Casou-se  três vezes: a primeira com Izidora Umbelina de Paiva Leite, com a qual teve seis filhos; a segunda, com Joaquina Hermelina da Costa Vieira, viúva de Paulo de Souza Vieira, nascida em Santa Luzia do Itanhy-SE, da tradicional família Costa Carvalho,  filha de João Baptista da Costa e Josepha Francisca de Jesus, proprietários do então "Engenho Antas". Joaquina também tinha seis filhos e do seu casamento com o titular nasceram mais dois. Faleceu em 14.02.1897, com 68 anos incompletos. Em 1904 o titular casou-se pela terceira vez com a Governanta da família, quando ele já estava com 84 anos de idade.  Este casamento não foi muito bem visto pela família e não deixaram filhos.Curiosidade:
 com a convivência dos seis filhos do titular com os seis filhos de Joaquina, acabaram por acontecer casamentos: os filhos dela Sizenando, Maria Joaquina e Josefa Hermelina casaram-se, respectivamente com  Adelaide (prole de 15 filhos), João José e Olímpio Cesar, filhos dele.  
Colaborador:
Lauro Lima, tetraneto do Barão. A adenda acima foi compilada do material remetido: um texto seu, outro do citado historiador Francisco de Assis da Cruz, e correspondência muito bem fundamentada de outro descendente do titular, Ana Maria Nunes Espinheira. 







Observação: o historiador Francisco de Assis O. da Cruz , ao relatar a história da cidade de Estância-SE, apresenta o titular como nascido em Vila do Inhambupe-BA, diferente do que cita o ANB.

Nenhum comentário:

Postar um comentário